quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Resoluções para 2010

- Dar meu máximo na faculdade, não pegar nenhuma DP e me dedicar de verdade
- Encontrar um emprego que me pague muito bem
- Ir para a academia religiosamente três vezes por semana
- Seguir a dieta corretamente, com força e determinação
- Ter um namorado
- Mas antes pegar vários caras gatos nas baladas
- Continuar sendo uma pessoa alto-astral, feliz e do bem!





















HAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAH -NOT

Nesse ano eu to com a Dri e minha única resolução é parar de fazer merda.

2009

(Em itálico o que eu fiz)

. conseguir e me manter em um emprego

. entrar e permanecer em uma faculdade
. não torrar meu salário desvairadamente (e principalmente não em mangás yaoi)
. ser tão macho quanto a Talita ou a Gabrielle
. ler 25 livros (ou mais)
. continuar escrevendo e aprender a equilibrar sabiamente minha vida e meu tempo
. arranjar um amigo gay residente em São Paulo
. não ficar sem computador
. continuar a seguir o Space Tiger
. ir a um show
. aprender (de verdade) francês
. voltar a nadar
. recuperar a minha noção perdida
. ir em um evento de Anime
. ir em um evento de Twilight (para rir, é claro)
. ter uma vida social
. não desistir de vez do violão (ou seja, cuidar do plano B)
. ter um notebook
. ter um fone de ouvido que dure o ano inteiro (talvez o mais difícil da lista)
. conseguir ler/assistir X/1999
. não abandonar esse blog quando migrar para o LJ (abandonei mas voltei)
. virar Vegan (competição árdua com o fone de ouvido que dure o ano inteiro)
. fazer com que o ano seja melhor que 2008

10/23 - poderia ter sido melhor, certo? Mas o que realmente me deixa triste é a não conclusão do último item.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

A (nada incrível) lista de livros lidos em 2009

1. Uma temporada no inferno
2. A arte da guerra
3. Histórias Extraordinárias (Edgar Allan Poe)
4. Watchmen
5. Persépolis
6. The Kobayashi Maru
7. Eu sou o mensageiro
8. Dr. Negro e outras histórias de horror
9. O guia do mochileiro das galáxias
10. Crime e Castigo
11. Belas Maldições

(2008 morre de vergonha)

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

I'm gonna dance with him tonight

All of my wrongs
And all my wicked ways
Will come back to haunt me.



(looks like the devil's here to stay)

eu não posso viver esperando que todos sejam como eu

Eu cansei de ser aquela que sofre, que se importa, que é forte, que é apaixonada, que suporta, aprende, luta, toma uma atitude, supera, se preocupa, que está sempre lá pelos outros, que é a boazinha e a personagem secundária das histórias. Não quero me tornar uma pessoa que guarda rancor, que quer vingança, se provar melhor que os outros, mas já está na hora de crescer e aprender com isso.
Porque eu sou esse tipo de pessoa.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

um breve manifesto no dia do natal

Não gosto de pessoas que desejam se apaixonar por tipos que a sociedade declarou ideais: os que são relativamente bonitos, trabalham, estudam, não são desequilibrados, não tem vícios, não são psicopatas, tem alguma noção de estilo e são o que seus pares estavam esperando, mesmo que isso seja bastante estúpido, uma vez que a grande maioria foi levada a acreditar que queriam a mesma coisa. Prefiro aquelas que se apaixonam porque o outro é bonito, porque eles leram os mesmos livros, por qualquer outro motivo aparentemente não válido e que justamente por isso se mostra válido - afinal, não deveria haver nenhuma razão estabelecida para alguém se apaixonar.
Também não gosto de pessoas que defendem muitos seus ideais, que se acham muito íntegras mas que na hora de realmente tomar uma atitude em prol do que elas querem, alegam serem incapazes de fazê-lo.
Prefiro aqueles que tomam decisões que demandam coragem, atitude, aqueles que amam pessoas pelos motivos mais inexplicáveis. E isso não tem nada a ver com o natal, mas eu senti vontade de declarar hoje.

um conto de véspera de natal

O trem havia chegado e ela acabara de entrar e se sentar. O banco na sua frente estava vago quando ele entrou, chamando imediatamente sua atenção. Tinha o cabelo cacheado, usava óculos escuros e se vestia como todos os intelectuais que conseguiam ser um pouco legais se vestiam. Ele andou na sua direção, mas depois se virou e se sentou em outro banco vazio, que era longe e ficava de costas para o dela. Sendo uma grande sonhadora e tendo usado aqueles breves segundos em que registrara informações sobre o estranho para aplicar uma trama pré-estabelecida de doces encontros de almas-gêmeas em situações pouco prováveis, ela não pode evitar se decepcionar um pouco, e muito menos voltar a se animar quando ele se levantou do lugar recentemente escolhido para finalmente se sentar no banco em frente ao seu. Ele tirou os óculos escuros, o que permitiu que, em um vislumbre rápido, ela pudesse ver suas feições, que para seu contentamento eram bastante agradáveis. Ela, que já estava usando seus fones de ouvido, ficou em dúvida se estava encantada ou decepcionada com o clichê quando ele abriu Manifesto do Partido Comunista. Decidiu então, parte porque era o que já planejava fazer desde o início e parte porque ela queria mostrar que também fazia parte da população que se importava em ler ago, colocar os pés em cima do banco e pegar seu O Hobbit e retomar a leitura, mesmo que se interrompesse de tempos em tempos para olhá-lo novamente ou para simplesmente imaginar como seria se eles começassem a conversar. Mas sua estação chegou, e ela guardou o livro e se levantou, e quando ela desceu pode ver que ele estava pegando o lugar que ela estivera ocupando. Sorriu e resolveu escrever sobre o episódio, por mais completamente banal que ele fosse.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

beleza, vou falar de inutilidades

mermão, o Jason Isaacs é gostoso pra cacete


ah, a elite, a supremacia aristocrática.
Eu adoro escrever no DS. Deve ter sido o melhor lugar que eu já encontrei para escrever. O processo é um pouco demorado, de apertar letra por letra, o que dá tempo de pensar mais na construção das frases, na escolha das palavras, no desenvolvimento do texto. E tem a vantagem de já estar digitalizado, o que é ótimo porque eu morro de preguiça de digitar o que eu escrevo na mão, além de ser mais fácil (uma vez que o DS é portátil e discreto), já que dá para pegar em qualquer lugar, toda vez que eu tiver alguma inspiração.

Eu poderia traçar uma série de paralelos com diversas outras coisas na vida que no começo não são muito importantes ou que você nem dá muita atenção, e que só depois percebe como elas são boas para você. Mas não vou fazer. Minha vontade de escrever, de criar, de mover projetos e desenvolver idéias foi maravilhosamente restaurada, e estou indo aproveitar isso.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

da genialidade do alexandre

filme ruim, novamente. mesmas pessoas. com a diferença de que nesse eu não estava com muita vontade de olhar para a tela, porque né, ser facilmente impressionável e frouxa é para viadinhas que nem eu.

"OMG ela ficou presa dentro do quarto?"
"Não, ela está filmando."

this fire is out of control

I'm going to burn this city!

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Coloquei há algum tempo a televisão na MTV, vi uns especiais sobre HIV e agora estou assistindo o Lab Clássicos. Tem uma música tocando, soa como rock clássico mesmo, eu não sei quem toca, não sei o nome e nem vou descobrir, mas o solo é bom. Eu estou com sono mas não quero ir para cama ainda, estou cansada de ter saído e depois armado a árvore de natal, que agora está piscando e me deixando com mais sono ainda. Era para eu estar dormindo, ou estudando, tenho provas a semana inteira e um projeto para entregar e ainda não fiz nada. Mas agora o clipe é estranho e ridículo, e fazia tempo que eu não ficava assim, no ócio, então vou continuar aqui mais um pouquinho.

domingo, 6 de dezembro de 2009

Não. Não. ISSO NÃO ACONTECEU!

Ir ao cinema tem mais a ver com a companhia do que com o filme, fato. Ir ao cinema com duas pessoas amáveis e ficar rindo o tempo inteiro, com um filme que é bem trash (mas interessante) é um bom motivo para poder considerar a melhor sessão de cinema ever.

- Mas e agora, como eles vão chegar lá?
- Como assim?
- Não tem mais orientação, o polo norte já era, como ele vai saber o caminho?
- OMG VOCÊ PENSA!

(O título do post se refere às exclamações de perplexidade perante a falta de verossimilhança do filme)