sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

um breve manifesto no dia do natal

Não gosto de pessoas que desejam se apaixonar por tipos que a sociedade declarou ideais: os que são relativamente bonitos, trabalham, estudam, não são desequilibrados, não tem vícios, não são psicopatas, tem alguma noção de estilo e são o que seus pares estavam esperando, mesmo que isso seja bastante estúpido, uma vez que a grande maioria foi levada a acreditar que queriam a mesma coisa. Prefiro aquelas que se apaixonam porque o outro é bonito, porque eles leram os mesmos livros, por qualquer outro motivo aparentemente não válido e que justamente por isso se mostra válido - afinal, não deveria haver nenhuma razão estabelecida para alguém se apaixonar.
Também não gosto de pessoas que defendem muitos seus ideais, que se acham muito íntegras mas que na hora de realmente tomar uma atitude em prol do que elas querem, alegam serem incapazes de fazê-lo.
Prefiro aqueles que tomam decisões que demandam coragem, atitude, aqueles que amam pessoas pelos motivos mais inexplicáveis. E isso não tem nada a ver com o natal, mas eu senti vontade de declarar hoje.

Nenhum comentário: