segunda-feira, 8 de março de 2010

O Oscar e o Dia Internacional da Mulher.

Ontem, pela primeira vez na vida, eu vi o Oscar até o final. Sempre acabava muito tarde e eu sempre tinha que acordar cedo, então eu ia dormir antes da premiação acabar, só que como agora eu estou no ócio eu não só vi inteiro como também fiquei assistindo Memórias de uma Gueixa depois.
Eu não sou, nem de longe, especialista em filmes. Adoro filmes, assisto tantos quanto posso, mas o conhecimento técnico, sabe, nada. Então eu estava torcendo pelo Tarantino para melhor diretor simplesmente porque eu amo, amo o que ele faz e acho Inglorious Basterds um dos melhores filmes que eu já vi na vida. (Christoph Waltz como melhor ator coadjuvante não tem como ser mais merecido, porque é o Landa, sabe, fiquei emocionadinha quando ele ganhou, hahaha.) 
Voltando, sei que tem quem menospreze o Tarantino porque ele nunca teve educação formal em cinema, e que não ache que ele, no quesito direção, seja realmente bom, e eu sinceramente não esperava que ele ganhasse, apesar de querer muito. E a Bigelow ganhou e eu pensei "Pelo menos não foi o Cameron", porque sinceramente se tem uma palavra que resume Avatar é OVERRATED. Enfim.
Mas aí que o que mais comentam sobre o assunto é que:
Ela foi a primeira mulher a ganhar o oscar de melhor direção, e foi justamente no Dia Internacional da Mulher!,
e
Ela ganhou do ex-marido! Aê, parabéns largada!
Eu não assisti The Hurt Locker, logo não posso falar. E acho o Dia Internacional da Mulher um absurdo, porque o verdadeiro motivo para ele existir nunca é lembrado, e sempre acaba se resumindo a ganhar uma flor (Alguém me explica, parabéns por quê? Porque ao invés do meu pai ter me dado um cromossomo y me deu um x? Nossa, valeu ein?). Mas se ela ganhou, foi porque ela é uma boa diretora, e sinto um preconceito velado em comentários que ficam evidenciando que ela é mulher e que ganhou de um homem, e do ex-marido. Eu, pelo menos, me sentiria ofendida (da mesma forma que me sinto quando, sei lá, falam que eu sou boa em elétrica como um elogio, mas com aquele ar de parabéns, você é boa em elétrica mesmo sendo uma mulher!)
Enfim, o que eu queria dizer é que, se for para falar algo sobre mulheres e sobre o Oscar, que falem sobre o o Tarantino, que ao contrário de The Hurt Locker (cujos personagens principais são todos homens), como é característico do Tarantino, tem mulheres fodas, que são fodas por serem fodas, e não por serem mulheres.
Au Revoir, Shosanna.

Um comentário:

Rita disse...

Acho que, como mulher, eu deveria ter 14o, 15o e 16o salários ao ano... 14o por sempre espararem menos de mim comparado a um "homem", 15o por deixarem isso claro criando um dia pra mim e 16o como indenização aos danos que isso causou na minha vida.... sem descontarem IR, claro.