sexta-feira, 28 de maio de 2010

Nessa mesma época, ano passado,

eu estava vivendo o que eu constataria depois os que foram os melhores meses do ano. Maio, Junho e Julho foram meses tranqüilos e felizes, cheios de histórias, de fangirl joy, de passar o tempo com amigas amáveis, de não ter que se preocupar muito com nada, de jogar DS e pensar "a vida é realmente boa". Mais do que todos, Julho foi o melhor mês. Eu acordava tarde, trabalhava pouco, saia cedo, quando ainda tinha sol, em uma vizinhança legal, não tinha faculdade para ir nem obrigação nenhuma, só a de escrever enquanto eu tomava café e terminar Elite Beat Agents.
Nesses meses, ano passado, eu achei que tudo tinha mudado para valer, e para melhor. Que eu era uma pessoa nova, mais feliz, que eu estava e continuaria naquele nível de descontração e humor. Eu tinha encontrado a fórmula. Mas quando Agosto chegou, e eu fui trabalhar no pior lugar possível, e eu parei de ter tempo para aqueles pequenos prazeres que eu amava, e consegui me enfiar no sentimento e na obsessão mais doentia que eu já estive até agora. Agosto chegou e até Dezembro meu ano foi totalmente por água abaixo, destruído por seis meses de stress emocional, decepção com os outros e comigo mesma, pela minha capacidade de fazer coisas estúpidas e insistir em comportamentos estúpidos.
Tanto que eu só fui lembrar agora que antes daquele inferno meu ano tinha sido agradável. Com a chegada do mesmo período. E mesmo que eu não tenha tanto tempo livre, nem uma paixão saudável por um fandom, nem a constante oportunidade de tomar café e escrever, a mesma sensação está de volta. Que dá sim para eu ter uma vida calma, ser uma pessoa tranqüila e feliz. E que, dessa vez, eu sei melhor. Melhor do que deixar qualquer outra coisa estragar mais um ano. Melhor do que permitir que algo ou alguém atrapalhe a minha vida. 
To boldly go.
Então aqui vamos nós, de novo. 
(Pensando bem agora, uma das maiores características desses meses do ano passado foi que eu tinha me livrado da necessidade patológica de não estar sempre sozinha. Eu passava o dia sozinha e estava feliz assim, só mantendo contato com as pessoas que me faziam bem e feliz. Melhor deixar isso aqui anotado, para eu lembrar de não esquecer que eu consigo e que é bom ser assim)

Nenhum comentário: