terça-feira, 27 de julho de 2010

I've found a better way out

Sing to me in my sleep, Zachary.
Não conseguiria dizer, mesmo que quisesse e tentasse e tivesse nascido com o verdadeiro dom das palavras, o que ouvir Beirut faz comigo. Desde o começo, eu ouvia para me acalmar quando a vida parecia estar me atacando demais, ouvia quando os dias eram feios ou bonitos porque no final, ouvindo, eu sempre encontraria beleza. 
Agora, além disso, ainda ouço porque as músicas verdadeiramente me transportam para outros lugares. Não importa onde eu esteja, o quão ruim seja, quando a música começa eu vou para um lugar totalmente diferente, um lugar bonito, onde na maioria das vezes o céu está fechado e o fogo arde em algum lugar. Talvez seja a sonoridade, o clima cigano (é cigano? é só o que eu consigo associar, quando eu tento), talvez seja a voz do Zach Condon.
Mas a verdadeira magia é que, ouvindo Beirut, aquela voz, a perfeição, eu lembro que se existe algo como aquilo tudo vale a pena. E se isso não é música de verdade, se isso não a torna a melhor das bandas, eu não sei mais nada.

Nenhum comentário: