terça-feira, 6 de julho de 2010

Assim, eu me lembrei

Pelo menos a mais importante era que eu não deveria esquecer, jamais, mesmo quando com raiva, com saudades e magoada, do quanto eu gostei dele. Do quão feliz estar com ele me fazia, e do quão adorável ele era, de como fomos amigos. Lembrei que não devo mais esquecer que, não é porque nós não nos vimos nem nos falamos mais que aquilo foi menos real, menos importante ou menos verdadeiro.

O nome dele é Leonardo, sabe. E eu não sou obcecada ou perdidamente apaixonada por ele - só demorei um pouco para entender o que, afinal, eu senti por ele.

(Eu nunca tinha escrito esse nome aqui, ou em qualquer outro lugar, antes. Mas eu não tenho mais medo.)

Nenhum comentário: