sexta-feira, 22 de abril de 2011

Pensamentos condizentes à Sexta-feira da Paixão

Feriado. Eu consulto no Google a programação da Globo e do SBT, na esperança de que passe algo legal na Sessão da Tarde/Cinema em Casa, porque para mim ficar em casa ainda tem toda aquela sensação de quando eu era menor e ficava o dia vendo aqueles filmes geniais. Óbvio que os filmes de hoje têm temas religiosos. Óbvio que não vou assistir.
Eu dei um chocolate para minha chefe e ela ficou com aquele receio de aceitar. Eu disse "É Páscoa, e a Páscoa é sobre isso, comer chocolate como se não houvesse amanhã e não sentir culpa". Minha colega de trabalho, altamente religiosa, ouviu e respondeu um passivo-agressivo "Não, a Páscoa não é sobre isso". Gente, eu não sei como lidar com gente muito religiosa. Passei a vida inteira sem ter que conviver com pessoas assim. Respondi "Para as pessoas atéias ou de outra religião, é sim". E claro que a reação dela foi agir como se fosse um absurdo cogitar pessoas que não sejam católicas/cristãs, e não falar mais nada como ato de protesto.
Acho que tudo isso é uma provação, para ver até onde meu liberalismo vai. É para eu aprender a respeitar, aceitar e calar perante o direito dela de acreditar no que ela quiser, vencer aquela vontade de perguntar "Ae, já pensou que você pode estar errada?" ou de questionar todas aquelas coisas que para mim soam absurdas. É para eu entender que as pessoas têm o direito de pensar o que elas quiserem, inclusive quando o que elas pensam é o contrário absoluto do que eu acredito. Mas aí eu me pego pensando, quando chega algum pedido de compra e a garota fala "Graças a Deus" ou "Benção meu pai", se eu também não tenho o direito de estar em um ambiente de trabalho livre de manifestações religiosas.
Tudo isso soa muito como a França, não é? E também no assunto França eu não consigo ter uma opinião concisa. Por um lado, sou totalmente a favor do secularismo. Por outro, parece um desrespeito à liberdade pessoal? Além de preconceituoso e discriminatório?  Agora estou pensando que eu posso estar desenvolvendo um preconceito contra cristãos, o que seria completa e absurdamente ridículo.
Eu devo estar errando feio em alguma coisa aqui, certeza.

Nenhum comentário: