quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Eu tento.

Tento mesmo. Faço o que eu posso para viver minha vida da maneira que eu acho certo, seguir o que eu acredito, deixar os outros em paz. Não é por nenhuma resolução espiritual nem vontade de ser melhor do que os outros, é só porque eu acho que tem que ser assim. E só peço que os outros respeitem isso e também me deixem em paz.
Mas é difícil, é muito difícil. Eu recebo do nada um e-mail educado que acaba com a minha noite. E sabe, eu errei por ter tentado entrar em contato de uma maneira civilizada, mas não fiz nada para merecer isso. Posso estar enganada, mas sei que pelo menos não ofendi ninguém, e não tinha porque ser ofendida também. Mas no meio de uma semana eu sou obrigada a ler algo que faz um amigo me perguntar se "isso" era mesmo a minha irmã. E era, e eu tento, mas eu não consigo me controlar e erro em responder sendo ofensiva também. Eu tento, tento ignorar, tento excluir e prosseguir com a minha vida, mas não consigo. E começa a surgir algo em mim querendo retrucar, e me vingar, e vai crescendo, e só para quando eu me obrigo a lembrar que não é isso que eu quero para mim. Que eu tento viver com outros ideais. Ideais que talvez não sejam certos, que eu não escolhi para ficar exibindo por aí e me achando melhor que ninguém, são só ideais que eu escolhi para mim.
Então eu falo isso, e volto atrás tentando consertar e resolver para que ambas as partes prossigam com a própria vida, em paz, como pessoas normais fazem em um mundo ideal. Só que eu preciso dormir e mesmo assim fico pensando, lembrando que não costumava ser assim, que não devia ser assim, que família deveria ser onde as pessoas se apoiam, se dão bem, não onde você se vê obrigada a excluir totalmente uma pessoa que já foi a mais importante para você, para que você possa prosseguir com a sua vida de algum jeito saudável.


É claro que nada é assim. Que na verdade as pessoas tem mais conflitos, mais problemas, e são piores do que nós imaginamos que elas são, e nada é como você pensava, e que as coisas que você acreditava muitas vezes estão erradas. 
Eu continuo tentando.

P.S.: Eu sei que ninguém lê isso aqui, e os poucos que leem conversam comigo e já sabem disso, mas eu comecei a postar no meu novo blog, o Man-Eating Cats, que pode não parecer pelo nome, mas é sobre feminismo. Ou a minha visão do feminismo. De qualquer jeito, fica registrado. 

3 comentários:

Marília disse...

Eu leio, sim.

(bruma) disse...

Eu não consigo responder diretamente para você, mas caso você veja isso, obrigada ♥

gustavo disse...

você sabe que sempre pode contar comigo, né?
be brave, girl. be brave.