sábado, 30 de março de 2013

ain't we all just runaways?

Eu acordei, atrasada. Juntei as coisas, me arrumei, saí de casa, peguei ônibus, metrô, encontrei a Talita. Passamos na padaria, pegamos ônibus, chegamos no Jockey. Ficamos na grade, o dia inteiro, todas as bandas. O André chegou e ficou com a gente, até o final. O Temper Trap, o show mal colocado do Flaming Lips, e então eles.
O Killers. E o Killers, e o Killers, e o Killers. Eu não sei ao certo por que eu chorei de soluçar, mas essa banda, essas músicas, fica fácil de entender. Ano passado foi o Foo Fighters, e eu abracei a Talita no show quando ela chorava, e a gente se abraçou de novo, chorando, e depois surtando com os sorrisos do Brandon, e talvez o Lollapalooza seja um aniversário da nossa amizade, a comprovação de "você é a pessoa com quem eu quero passar horas na grade" ♥
Então acabou, e a gente correu, para pegar o metrô, para chegar em casa. Já sentadas e embarcadas, ela virou e falou que já estava sentindo a depressão pós-show. A minha bateu quando eu sentei aqui e fui ver as fotos e vídeos. É estranho ir dormir e pensar em tudo que aconteceu hoje, ir dormir pensando que ontem eu estava deitada naquela cama sonhando com como ele seria, e agora já foi. Mas ano que vem tem mais, amanhã tem mais, e o meu iPod vai continuar tocando as músicas deles, todos os dias.
I knew it when I held you
I wasn't letting go

sexta-feira, 8 de março de 2013

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Nessa data aí do título tem um post nesse blog com o nome "retirado do meu horóscopo", onde eu colei um excerto do meu trânsito no Personare. Tudo que estava escrito aconteceu, bonito, e o que aconteceu? EU ME FODI ♥
Paremos por aqui. O que acontece é que acabei de abrir o Personare e qual trânsito estava lá, novamente? O próprio. Vale dizer que nesse período todo ele não tinha se repetido, porque eu saberia, como eu sei agora, justamente por ter sido tão marcante, tão correto, e novamente, por ter dado tanta MERDA.
Vou colar aqui novamente, grifar novamente, porque daqui outros quatro anos, quando rolar de novo, mais uma vez eu não vou poder dizer que não fui alertada:
Algo que também ocorre muito neste ciclo, Bruna, envolve uma tendência a paixões súbitas, mas em geral tolas e totalmente baseadas em atração física. Caso você venha a se apaixonar por alguém neste período, convém ter prudência. Será que é paixão mesmo, ou simplesmente o clima certo associado a uma necessidade física? Em geral, "grandes amores" iniciados neste período tendem a arrefecer tão logo o ciclo passa. Aproveite o momento, portanto, sem necessariamente fomentar falsas expectativas. E não deixe de usar camisinha! Tendemos a cometer atos luxuriosos em excesso neste ciclo Marte-Vênus, e muitas vezes não nos damos conta do que estamos fazendo, pois o desejo fala mais alto...
Rezemos.