quarta-feira, 16 de julho de 2014

on kindness

Todas minhas paixões nos últimos tempos (leia-se: no último ano) tem sido por escritores. Eis a minha mais recente, e também a mais emocionante história:

Duas semanas atrás eu vi esse artigo, e coisa de quinze minutos depois eu já tinha comprado o livro. Foi a primeira coisa que eu li do George Saunders, apesar que percebo agora que já tinha visto sim o discurso dele na formatura de uma faculdade. Enfim. O livro me acompanhou nos primeiros dias indo para a nova faculdade, me arrastando até Santo André, e foi no trem voltando para casa que eu li meu conto favorito dele, o Puppy. Digamos que eu tenha chorado no fim, e tenha chorado boa parte do caminho para casa também, e sim, parte por descompensação emocional (não estava sendo fácil, gente), parte porque o cara é bom mesmo.

O conto dele falou comigo em vários aspectos, e eu acho que tem muito a ver não só com o discurso dele que eu linkei aí em cima, mas também com o discurso famoso do David Foster Wallace, o This Is Water. Os dois falam basicamente sobre empatia, sobre entender que você não sabe o que acontece na vida alheia, e também sobre a necessidade de nos colocarmos no lugar dos outros, de sermos gentis. E você pensa, ok, é o que é certo, e esses caras falam essas coisas, mas eles são assim de verdade?

São. E eu sei disso porque eu acabei enviando um e-mail para o George Saunders, e não só ele respondeu como também foi a pessoa mais gentil e simpática do mundo. Sério, que homem.

Eu esperava uma resposta - senão nem teria mandado, né - mas não uma resposta tão legal como a dele. E você pensa, ele não deve ter gasto muito tempo escrevendo, e não tinha obrigação nenhuma de fazê-lo, mas ele me respondeu e não só fez meu dia (minha semana?) como também me mostrou muitas outras coisas. Que se mesmo pessoas muito ocupadas (olhem os links, gente) e muito, muito inteligentes podem gastar um pouco do seu tempo para serem gentis, por que eu, ou você, não podemos? Mostrou também que é estúpido - sério, imbecil - ficar gastando tempo e stress com pessoas ignorantes e toscas quando existe tanta gente melhor, e tanta coisa melhor para se fazer. E mostrou que às vezes coisas muito legais acontecem simplesmente por que você se dispôs a tentar.

Pode parecer bobo ou sem importância para muita gente - inclusive já me expressaram essa opinião - mas foi algo muito incrível para mim. Fico pensando se eu, algum dia, também serei capaz de ser legal assim com alguém, de ser boa, inteligente, feliz e sim, gentil. Enquanto isso, eu tenho uma nova história para carregar para sempre comigo.